Archive for the ‘Clássica’ Category

h1

Capas de CD 04 – especial: Entrevista

setembro 19, 2009

Boa noite, negada!

o post de hoje, ainda sobre o tema das capas de CDs é ainda mais especial. entrevistarei dois caras com muito potencial, membros da banda paulistana Southern Lights, o vocalista Lean Van Ranna e o artista gráfico Cleyton Souza.

Peraí??? Artista gráfico?? membro da banda??

sim! é isso mesmo, jovem padawan! xD
É este o conceito por trás do projeto Southern Lights: a integração completa entre áudio e visual tão intriscicamente ligados a ponto do artista ser considerado realmente um membro da banda, seguindo uma filosofia cristã. O tema tratado pelas músicas da Southern Lights é o ser humano e suas guerras interiores, sentimentos como inveja, odio, ambição, amor, paz e compaixão. Sentimentos estes que são comparados a fenômenos naturais como: chuva, brisa, aguas correntes, tempestades, furacões e maremotos. abordando questões ATEMPORAIS, com a liberdade de caminhar por todas as eras pelas quais a humanidade passou. A temática fará as pessoas repensarem e se inserirem no personagem, tirando suas próprias conclusões e dando seu próprio sentido ao fim da história, se identificando ou não com cada situação exposta em cada letra de cada música do album, Tudo isso mantendo o foco no fenômeno sobrenatural ainda ao alcance do ser humano de hoje e através das eras que o ajuda a enfrentar as dificuldades do mundo atual: O amor de Deus.
a capa:

southern lights

southern lights


Vale a pena também conferir o MySpace do artista.

Conversei com os jovens mancebos para saber todos os detalhes dessa empreitada no que diz respeito à intertextualidade entre duas artes tão distintas. a seguir a entrevista:

Erlik Azevedo: Vamos à pergunta básica que inicia quase todas as entrevistas como esta: Como surgiu todo esse conceito por trás do Southern Lights?
Cleyton Souza: (risos) pergunta pro Lean!
Lean Van Ranna: Opa! comigo.. (risos) O conceito da SL surgiu mediante um desejo de não apenas gravar mais um CD de Heavy Metal, e sim tentar algo novo… O conceitual, a estética “Ópera Moderna” sempre me atrairam, tal como a are gráfica, Pintura, em geral… Poder mostrar o ambiente de nosso conceito lírico através da arte gráfica era um grande desafio. porem não obstante tinhamos um grande aliado que estava trabalhando a parte visual da banda mesmo quando o processo de concepção do AUDIO-VISUAL da SL era apenas embrionário… Foi então q me veio a idéia: por que não trabalharmos juntos? E assim convidei Cleyton pra não ser apenas o artista gráfico do CD mas ser um membro ativo do projeto q pudesse interagir visualmente com cada tema música e lírico do album, fundindo esses três elementos: História, musica, e arte visual em um único trabalho, essa é a Southern Lights!
EA: Cleyton, como tu captaste a idéia pra conceber as imagens? até que ponto foi determinação do Lean, e o que é criação sua?
CS: O Leandro já tinha me mostrado todo o conceito do álbum. É realmente incrível como ele montou a temática de cada música, isso tudo girando em torno de um ambiente, do mesmo tema. Não é cansativo! Pelo contrário: é bem complexo! viajei na temática, então ele me enviou algumas prévias das músicas… sempre gosto de trabalhar ouvindo a boa música, o bom e velho metal, ainda mais sabendo do que estava por trás da melodia, da letra e tal… fiz a capa no mesmo dia em que ouvi a primeira prévia! eu diria que a comunicação nesse tempo foi fundamental. não foi preciso o Leandro dizer “quero de tal jeito”, veio naturalmente, consegui captar – pelo menos é o que eu acho! (risos) – toda a essência do álbum!
LVR: Não só conseguiu, como também inseriu os elementos de uma forma tão harmoniosa que realmente percebe-se que essa parceria é forte! nem preciso mesmo falar muito com o Cleyton: ao ler a historia e ouvir algo de nosso som, ele realmente se torna como um dos musicos, mesmo sem tocar nenhum instrumento! ele tem traduzido em imagem oq diz a harmonia, melodia, ritmo e letra do trabalho de forma bem equilibrada e poderosa!
EA: Lean, Sobre o processo de composição… tu fizeste todo o trabalho, ou a participação dos outros musicos teve maior relevância?
LVR: a Southern Lights trabalha em conjunto em todos os aspectos a harmonia e união entre os instrumentistas, arte e voz são fundamentais… demorei um bocado pra encontrar pessoas que entendessem em síntese oq seria a SOUTHERN LIGHTS, talvez por isso tambem a formação tenha variado um bocado até então… O negócio não é só compormos as canções, mas a integração entre todos é fundamental! então posso dizer mais especificamente que gosto de trabalhar fazendo as coisas com todos juntos, todos opinam em tudo, pra SL isso é importante para que não gere choque entre temas, música e arte. somos uma família, e sabemos a importância de cada membro nesse corpo para um resultado final saudável se concretizar.
EA: Uma família, como toda banda deve ser…
LVR: verdade o que você disse. toda banda precisa pensar assim…porem pra se montar uma banda com um apelo artistico tão focado e aberto nem todos se sentem a vontade… talvez poucos tenham a coragem de inovar em prol da arte… Mas graças a Deus agora estamos firmes e fortes, bem focados e prontos pra esse labor! hehe
EA: É bom também ter essa confiança no trabalho!
CS:e que confiança, viu? a Southern Lights em SP e eu na Bahia! (risos)
LVR: é verdade! Mesmo com a distância do Cleyton, é impressionante como temos união e foco no trabalho!
EA: 3 vivas à internet! (risos)
CL: vivas, vivas, vivas!! (risos)
LVR: E aliás, tem muita surpresa pintando! Muita coisa interessante e de conceito forte… não apenas com intuito de abordar a fé, mas de cunho social, e em prol dos bons costumes q noteiam a humanidade…
EA: É o primeiro trabalho conceitual que vcs fazem, ou já haviam feito algo semelhante?
CL: Ainda não tinha feito… só capa pura e simples mesmo! Pra mim é a primeira vez, e pelo que conheço do Leandro, será a marca registrada da Southern!
LVR: Eu sempre admirei trabalhos conceituais… e tenho muidas historias guardadas… (breve mais trampos desse gênero… hehe). Só q é a minha primeira vez… Mas a Southern Lights me despertou pela ncessidade do novo: a necessidade de fazer alguma coisa q me ajudasse e indistintamente ajudasse ao ser humano se compreender melhor, seu meio ambiente e seu próximo… O ser humano as vezes está tão confuso quanto ao clima q nos acerca hoje,
e muitas vezes esse descontrole causado na natureza tambem é refletido na convivência uns com os outros. Estamos perdidos? A resposta vem do alto, e está batendo em nossos corações: Precisamos conhecer profundamente nossas raizes de onde surgiu nossa criação, e assim dar sequência analiticamente fazendo um balanço sobre nossos erros e acertos, nós queremos mostrar em nossos sons e imagens
mensagens de esperança e paz pra um mundo que caminha pra a autodestruição através do desequilibrio ambiental e emocional que nos afastam cada vez mais um dos outros e da verdade. verdade essa q se encontra em uma mensagem forte de amor e união, e nada como usar estudos tecnologicos para provar o quanto podemos ser melhores e mostrar o quanto somos limitados quando se esgotam as respostas aí q entra o sobrenatural, Deus. Mas não um Deus do qual o mundo conhece de ouvir falar, mas um Deus q esta próximo, não queremos provar sua existência, mas sim fazer o homem questionar a si mesmo e tirar a sua própria conclusão. essas será a direção da banda diversas interpretações e nada como agente vê nos dias atuais colocado “goela abaixo”. E sim algo interativo, fazendo o homem se conhecer melhor, se questionar mais e querer ou não, mais um caminho, e se esse caminho é bom vai depender de dele sentir isso dentro dele mesmo
EA: Segue uma filosofia cristã, mas não é vinculado diretamente a alguma vertente como catolicismo, protestantismo e variantes, correto?
LVR: Nós não queremos esse rótulo! Nós abominamos rótulos, apenas seguimos Cristo. Mas não esse Cristo desgastado das religiões: seguimos o Cristo de antes da mídia, meu jovem… (risos) sem misturas, o admirado, sem comercios… apenas filosoficamente muito importante pra humanidade, quem dividiu a historia do ocidente em AC/DC [não a banda ok? .. (risos)]
queremos levar esse Cristo desconhecido por muitos pelo desgaste da religião atual. Ele está dentro de nós, não em templos “pomposos”.
EA: Entendo o que tu falas… muita gente opta pelo ateísmo justamente por causa desses “abusos” dessas igrejas.. percebe-se na mídia o que vem acontecendo recentemente..
LVR: infelizmente, man… não queremos comercializar mensagens tao boas que podem resolver muitos problemas mas tem sido trampolim para enriquecimento dos “mais espertos”. Alias letras como ACID RAIN, AURORA NUCLEAR e etc (nome de 2 sons do CD), Tem um conteudo igualmente social forte! Mudando o ponto de vista de muitos cristãos atuais (sem conhecimento das escrituras) de q tudo é culpa do diabo… O homem é principal culpado de suas mazelas… aqueles que olham só pros defeitos do outro, e nunca pros próprios..
EA: aqueles que olham só pros defeitos do outro, e nunca pros próprios..
LVR: verdade… Algo q gostaria de destacar Erlik é que cada canção terá cuidados artisticos especificos assim como todos os shows após o lançamento do album serão igualmente AUDIO-VISUAIS
EA: Quais serão os recursos utilizados? videos em telões, apresentações teatrais, de dança.. quais são as idéias?
LVR: bem por aí! ainda não podemos revelar na integra mas digamos q vc está quase envolvido já (risos). Será um show interativo e peculiar.. algo talvez não experimentado no metal ainda.. ou se experimentado dessa vez com função de mensagens positivas e introspectivas sobre nossos erros, tentando acertar enquanto ha vida em nós… por muitas vezes as proprias canções falam até mesmo conosco… é algo bem sobrenatural, como se estivessemos recebendo essas mensagens e conceitos… saca?
EA: to captando o espírito! =D e é algo com que eu me identifiquei muito! to louco pra ver o resultado final! \o/
LVR: Fico feliz, man! creio que esse é o intuito pelo qual a SL existe… q não apenas tenhamos fãs da musica e sim pessoas q se indentifiquem ou pelo menos participem conosco desse novo conceito e isso faça bem as suas vidas, traga bons frutos!
EA: Esse é o papel pelo qual eu penso que a musica em geral existe… música faz bem, não importa o estilo! faz bem pra alma.. acalma as emoções!
LVR: eu tambem acho ainda mais se esse é o foco da música! a SL tem isso como desafio e foco…
EA: quando que entra em turnê? já tem previsão? XD
LVR: assim q sair o CD! Mas pretendermos fazer algumas apresentações nesse meio tempo… e aos poucos adaptar algo pra o ao vivo, porem a surpresa especial virá depois com o lançamento do album, e os shows posteriores! mas por enquanto teremos muito q contar, tocar e cantar por ae já!
EA: e seus outros projetos? pretende seguir com eles paralelamente, ou vai dar prioridade ora pra um, ora pra outro?
LVR: a SL é prioridade, porem eu não vou deixar os demais! gostaria de associar.. porque são muito importantes pra mim.. por agora tenho a R.A.T.E. algo mais direto e visando o HARD/HEAVY classico q curto muito!!! e o minha banda SOLO q vai tocar classicos q garvei no passado como por ex: dElohim e Menahem entre covers de grandes nomes do White Metal… essa banda é itinerante, assim como faz por ex o Rob Rock em seus solos…
EA: Agora a pergunta mais clichê de todas: quando tu decidiste ser músico? o que te motivou, e como tu escolheste ser vocalista? xD
LVR: Eu nasci músico acho… hehe… Porq em meu lar sempre haviam boas canções, fui criado na ambiencia da boa música POP anos 80 e tambem dos bons grupos de música Gospel de sua época… Claro q músicos como Michael Jackson, Cindy Lauper, B 52, foram cruciais pra meu começo na musica… cresci ouvindo isso em casa sem me esquecer de grandes musicos do HARD ROCK q na epoca recheavam as radios com suas belas baladas romanticas (bons tempos da radio popular.. hehe)
EA: eu curto bastante o MJ ea Cyndi Lauper! \o
LVR: entao vc tem bom gosto, man!
EA: Em síntese, eu gosto de música boa! xD
tu tens alguma formação, ou começaste uma faculdade fora do meio musical? ou largou o colégio pra cantar? xD
LVR: eu estudei musica! pretendo continuar os estudos de teoria em pouco tempo, estudei canto lirico com uma professora e regente do coral que cantou para o PAPA aqui em Aparecida do Norte, cidade que faz divisa com a minha Guaratinguetá SP. Tambem estudei com Lyba Serra, e o método de Melissa Cross (Professora da vocalista do Arch Enemy e do vocalista da banda Lamb Of God) da qual adaptei o Lirico ao Popular criando algo novo nessa mescla importante que norteia meu proprio método de canto (hoje tambem leciono técnica vocal).
EA: Eu curso Oceanografia na UFMA. se eu fizer sucesso rápido, eu acho que vou fazer igual ao Brian May, que voltou pra faculdade pra fazer doutorado em astrofísica! (risos)
LVR: (risos) pois é…. a música não é facil! mas eu ainda sonho e envisto nela… e sinto q um sonho vale mais do q o dinheiro! E a segurança, o conforto está no seu interior, minha ambição na vida é fazer trabalhos musicais q ajudem as pessoas de alguma forma com a mensagem q tenho a passar, mas não ambiciono o dinheiro, quero ter o suficiente pra viver e ja serei feliz!
EA: to sentindo falta daquelas perguntas clichê que encerram entrevistas… alguma sugestão? (risos)
LVR: (risos) deixa eu ver… “uma mensagem final pra galera?” ou *algo mais a acrescentar?” isso tudo é clichê XD
EA: sei lá.. o que tu quiser! xD
LVR: põe da mensagem! “uma mensagem final?” tipo… “valeu lean e Cleyton” e considerações finais.. bola algo em cima disso! ao menos é assim q terminam entrevistas no geral! heheheheehe xD
EA: Okay então… agradeço pela entrevista, por ter me deixado tomar seu tempo… e foi tempo pra caramba, hein? xD
LVR: Verdade, durou bastante.. Desculpe as muitas palavras… (risos) Espero q encontrem bom pouso e não fiquem ao léu.. E esperamos um dia nos ver por aí! DEUS abençoe a todos, somos as Luzes do Sul!

Anúncios
h1

FIRE!!

setembro 7, 2009

Como já disse anteriormente (bem ali no “sobre mim” e no post anterior), eu sou guitarrista de Heavy Metal (Modéstia à parte, eu toco bem pakas 8D). este post ainda é da minha apresentação… e quero contar uma história bizarra que aconteceu recentemente! xD
Em Dezembro do ano passado, aqui em São Luís, teve um show do Almah (pra quem não sabe, banda paralela do vocalista Edu Falaschi, do Angra) em que uma das bandas de abertura foi a Fire, banda ainda tocando apenas covers, mas a qualidade dos musicos é impressionante.. Virei fã dos caras tambem! xD
Algum tempo depois, em meados de Agosto, lá estava eu, largadão em cima do sofá… pensei “po.. uns eventos de cover legais ai.. nao tem nenhuma de Metal melódico… vo formar uma!” Do nada assim mesmo! xD
O problema:  o unico cara pra cantar isso aqui é o Fagner Limam, vocal da Fire!
tá.. lá vou eu falar com ele, mas pensando “aah.. ele é atarefado demais.. nao vai poder aceitar..”  Nota: ele é estudante de música pela UFMA, estuda Canto Lírico na escola de música do Estado, e está quase se formando! ;D
No desenrolar da conversa, acabo me surpreendendo pela resposta não totalmente negativa à minha proposta, e que estivesse de férias tanto dos afazeres com a banda, quanto com a faculdade e o conservatório.
A história começa a mudar no momento que ele pergunta se eu toco bem mesmo, e mando meu vídeo no youtube para ele mesmo avaliar.. xD
no final, o convite: “Você quer ser guitarrista da nossa banda? os dois saíram há algum tempo!”
minha reação foi “CARAAAAALEO *____* sério mesmo o convite? eu?? guitarrista da Fire?”
Só tivemos um ensaio até agora, e muito problema de comunicação, que se depender de mim, acabam! proximo ensaio é terça feira (feriado de aniversario da cidade! Rá! 8D )
mas acho que sou meio zicado.. logo que entrei, que a banda ensaiou, o baterista saiu! ¬¬’
só digo uma coisa: tem MUITA coisa boa por vir desse projeto… *-*

falo do “concurso Seja o baterista da Fire” depois! Boa noite! ;D